Downloads de apps devem ultrapassar o marco de 200 bilhões em 2017

10 junho

200 bilhoes de apps baixados em 2017

Ter uma maior gama de opções de aplicativos disponíveis para download nas lojas – apps estes que, em grande parte, são gratuitos – parece ter sido fator essencial para ampliar o mercado consumidor de aplicativos. Por outro lado, este grande volume de produtos disponíveis tornou mais desafiadora, para os appreendedores, a tarefa de construir uma grande base de usuários ativos. Mais do que nunca, o atingimento deste objetivo exige um plano de marketing multifacetado, de acordo com um novo relatório eMarketer chamado “Mobile App Marketing: 10 táticas usadas pelos appreendedores bem sucedidos”.

Entre as duas principais lojas de aplicativos – App Store e Google Play – os usuários mobile tem literalmente milhões de opções para escolher. Três anos atrás, em maio de 2013, o Google anunciou ter um milhão de aplicativos e jogos disponíveis no Google Play, um aumento de 43% contra os 700.000 de outubro de 2012. A Apple alcançou o mesmo marco de 1 milhão em outubro de 2013, e apesar de ter obtido um crescimento mais lento do que o Google, obteve um percentual igualmente significativo em comparação a 2012: 42% de aumento.

Ainda que o número de downloads oscile em uma base diária, semanal e mensal, institutos de pesquisa estimaram que o total anual de downloads deve aumentar substancialmente nos próximos anos, com o uso de smartphones e tablets crescendo em todo o mundo. O instituto de pesquisa Portio Research estimou que o número de downloads anuais ultrapassará os 200 bilhões em 2017.

E, ao que parece, navegar na loja de aplicativos é hoje o método mais comum usado pelos consumidores para encontrar novas aplicações. Em uma pesquisa realizada pela InMobi descobriu-se que pouco mais de metade (55%) dos usuários de smartphones nos Estados Unidos usualmente encontrou novos apps mobile navegando na loja. Cerca de um em cada três procurou por aplicativos que lhes foram pessoalmente recomendados. Em termos de frequência, quase um em cada quatro procurou novos aplicativos diariamente, e uma parcela semelhante (26%) pesquisou novas aplicações semanalmente.

As mídias sociais desempenharam um menor, mas ainda significativo, papel na descoberta de apps: cerca de um em cada cinco entrevistados utilizou sites sociais como Facebook e Twitter para ajudá-los a descobrir novos aplicativos. Além disso, a Forrester Research relatou que entre 14% e 16% dos usuários de telefones móveis havia descoberto aplicativos através de consultas de pesquisa baseadas na web, e uma quota ligeiramente maior (15% a 19%) havia descoberto aplicativos através de redes sociais.

Como destacado no início deste artigo, isso demonstra uma falha: a maioria dos aplicativos disponíveis no mercado não possui posicionamento claro, nem mesmo ações de marketing que sejam específicas e direcionadas ao seu público-alvo. Ações estas que, na maioria das vezes, podem ser muito simples e baratas – e garantem maior retorno do investimento realizado no desenvolvimento do app. O que reforça ainda mais a importância de um plano de negócios bem estruturado, ainda que compacto e simples, e do marketing multifacetado para o sucesso de um aplicativo: não só em número de downloads, mas principalmente para que o app cumpra seu objetivo.

Você se interessou por este tema? Leia mais sobre com criar um plano de negócios para novos aplicativos e sobre a importância da consultoria mobile no artigo “Como criar um aplicativo de sucesso – com um pouquinho de trabalho e sem fórmulas mágicas”.

Sem comentários.

Deixe uma resposta